sexta-feira, 26 de setembro de 2008

O clube dos poetas mortos (ou não!)


Flagg Miller, professor de literatura árabe na Universidade da Califórnia, descobriu que Bin Laden recitava poesia em festas, nos anos 90, e decidiu compilar e publicar a obra poética daquele que apelida de “poeta de guerra”.

O Bolbo disponibiliza, em primeira mão, o seu poema intitulado “Trinta por uma linha”:
Queimo e mato
Esfolo e chacino
Torturo e arrebento
Expludo e saboto
Al Qaeda para sempre
Alah
O Bolbozine literário volta para a semana com poemas de Adolf Hitler.

5 comentários:

Leididi disse...

Pronto, a outra passou-se.

R2D2 disse...

Avisa-me por favor quando publicares as Histórias Infantis de Mobutu.

Marisa disse...

Que poema tão harmonioso :P

Alminha Mariana disse...

Mas o bin laden ia a festas? Muito me contam!

R2D2 disse...

Mas o Bin Laden ia a festas? Incrível como nunca se cruzou com a Alminha Mariana