terça-feira, 11 de março de 2008

Da Secura

Lá fomos todos lampeiros ver The Cure ao Atlântico. A banda revisitou os clássicos por que todos esperávamos ouvir, alternado com músicas menos familiares e outras do novo álbum, ainda por lançar. Em concerto, ouvir músicas de um álbum que ainda não contactou com a atmosfera está tal e qual para aquele filme que varreu os Óscares e que nós não vimos, porque não estreou: já gostamos, embora não saibamos porquê. A voz do Robert Smith não envelheceu um pouco que fosse, está tal e qual como quando ele descobriu que a tinha, que terá sido justamente no dia em que descobriu rímel dentro da mala da tia. Ali tocaram 3 horas de músicas, sendo que a última viveu dos 3 encore que certamente esperavam acontecer. Como disse o Rico “epah, é melhor irmos embora senão ele canta até às cinco da manhã!”. Mas a noite não foi só de cura. É inadmissível que no Pavilhão Atlântico não tenham montado dois écrans colossais, para que aqueles a quem a mãe-natureza deixou somiticamente ficar pelo metro e sessenta pudessem ver. Imperdoável é a fila para a cerveja chegar até ao Marquês de Pombal e os fãs dos Cure se misturarem com os não menos góticos professores. Estar num concerto sem cerveja é como fazer acupunctura sem agulhas. O que vale é que temos espírito de camaradagem e uma cerveja rodou por cinco. Faz-nos bem saber aquilo por que os judeus passaram. Lei seca à parte, voltava a repetir a experiência. Só de relembrar aqueles acordes de Boys Don’t Cry, dá-me vontade de ir buscar as Dr. Martens ao sótão.

10 comentários:

Anónimo disse...

Só queria acrescentar que, a meu ver, as Sextas-Feiras são realmente o melhor dia para se estar apaixonado. Muito embora tal não dispense os Sábados, Domingos, Segundas, Terças, etc, etc, etc.

Manana disse...

Realmente, é verdade! Calha mesmo bem estar apaixonado à Sexta!

Happinêss disse...

Concordo! Se bem que devemos aproveitar os descontos de 5ª feira-para-apaixonados. No Restaurante do IKEA fazem uma boa promoção, mas só às 5ªs!It's Thursday, I'm in Love!

Alminha Mariana disse...

Carambas.. o que eu perdi! Ainda por cima agora que ando a reduzir na cerveja, perdi uma óptima oportunidade!Damn it...

olivia disse...

BUUAAHHHAHHH.. :'(
eu queria TTAANNTTOO ter ido! ainda bem que ao menos representaste bem a miraflower community!!...

R2D2 disse...

Confissões de um gajo que até curtiu um bocado os anos oitenta:

Eu estava lá e vi com estes-olhos-que-a-terra-há-de-comer-e-quanto-mais-tarde-melhor!

Eu tambêm bebi da cerveja da Happinêss e confesso que fiquei com os olhos alagados quando começaram a tocar os primeiros acordes do "Boys Don't Cry".

Confesso que fumei* no Pavilhão Atlântico que, como toda a gente sabe, é um espaço público e fechado onde é proibido fumar.

Confesso que no caminho para o concerto, já em cima da hora, me apeteceu atropelar 1 ou 10 professores.

Confesso por ultimo que tenho uma doença ao nivel dos lábios e que se transmite assim nas calminhas através dos copos. As minhas desculpas mas com a sede até me esqueci dessa cena.

* - Marlboro Lights

Happinêss disse...

É verdade, r2d2 fumou que eu estava lá e assisti com estas lentes de contacto que a terra há-de comer já no final de Março. Se tens uma doença ao nível dos lábios, tudo bem, não me importo (até podia ser ao nível do nariz). Mas como dizes que se transmite "nas calminhas" fico muito mais descansada, ora!

Manana disse...

Lembrei-me agora: ainda há aqueles descontos no cinema à Segunda? Porque se assim for, também rende estar apaixonado à Segunda.

Lek disse...

A mim é que nunca mais me enganam. Chamem-me fascista, fascizoide ou fascizante, mas na plateia não me apanham mais. Toda a gente fuma descaradamente e à ganância, e eu com os olhos a arder estive 3 horas de pé SEM CREVEJA! Nunca mais!

Happinêss disse...

Manana, em relação ao cinema, o que rende mesmo é estares apaixonada e teres cartão visa millennium bcp. Na compra de um bilhete, oferecem o outro. It's visa, I'm in love!